quarta-feira, fevereiro 05, 2014

A banalização do perdão

            Pedi perdão e perdoar são coisas essenciais na nossa vida sem não temos como viver um cristianismo de verdade,agora a banalização do perdão isso sou contra.Se eu discordo do irmão em algum assunto não precisa pedir perdão discordar é algo comum entre pessoas afinal ninguém pensa igual,as vezes num momento de descuido eu falo algo que entristece meu irmão mas que não ofendi  sua honra ou causa dano pessoal é mesmo necessário pedir perdão um simples pedido de desculpas já não é basta,quantas brigamos com nossos irmãos de sangue e depois de pouco tempo estamos de bem novamente,agora Jesus disse que todos que fazemos a vontade dele somos seus parentes e eu pergunto se somos ligados uns aos outros pelo amor de Cristo não deveríamos nos tratar como a nossos parentes?perdão é preciso porém tem que ser por motivos realmente fortes e que possam deixar feridas aí só perdão para libertar da magoa,pedir em liberar é essencial e ao liberar precisar esquecer a ofensa reconsiderando a situação ao estado anterior ao ato da ofensa,ou seja ao perdoar precisamos retomar a mesma condição de relacionamento que existia ates de sermos ofendidos.

E se Deus nos rejeitasse

        Hoje uma amiga que vou denominar de L me Perguntou porque a B e I respondem as mensagens da K e não respondem as minhas? fiquei sem palavras acabei dizendo que deve ser distração o que fiz errado pois eu sei que não é distração.Infelizmente a B e a I foram colegas de trabalho da L porém por discordarem de como a L vive sua vida preferem excluí-la de suas vidas,agora eu interrogo e Deus que é infinitamente superior ao mais santo de nós homens  se ele resolvesse nos excluir por nossos erros o que seria de nós,meus amigos tem defeitos,alguns são prostitutos,outros usam drogas mas eu sou o espelho de Cristo pra eles se eu excluí-los será que um dia aceitarão a Cristo.O amor precisa ser superior as chagas que temos em nós rejeitar as pessoas por causa de seu modo de viver da o direito de Cristo nos rejeitar caso cometamos alguma falha.